Como sua empresa cuida do Conhecimento?

A importância da Gestão do Conhecimento já é reconhecida por muitas empresas, mas ainda existe uma grande maioria que concentra todos os seus saberes apenas na mente de cada funcionário.
Isso é tão comum, que já ouvi pessoas dizerem: – “Não vou ensinar meu serviço, eu aprendi sozinho, então quem for novo que se vire para aprender. Ensino e depois me mandam embora!”
Claro que, existem muitos profissionais dedicados que fazem questão de ensinar os mais novos e acolhê-los em suas dúvidas e outros que ensinam sem gostar, mas porque alguém mandou.

Qual o risco de tudo isso? São diversos, vamos conhecer alguns deles:

1° Risco do Bolo da Vó: Isso mesmo, é aquele bolo delicioso que só ela sabe fazer e, de tanto que já fez, a receita está em sua cabeça. Mesmo ela dando a receita para você, o resultado não fica com o mesmo sabor.

2°Risco do Quem Fazia Foi Embora: Então, algum corajoso organizacional é escalado e ele começa a busca ao tesouro das informações para realizar aquilo que um colega antigo já fez.

3°Risco da Ferrari Que só Anda a 20km/h: É quando a empresa investe horrores em boas ferramentas de trabalho e R$ 0,00 na capacitação das pessoas que irão operá-la. O resultado é que nem todo potencial é usado ou demora muito até que ele seja descoberto.

4°Risco do Remando Contra a Maré: Todo mundo faz o que acredita ser necessário, muitos brigam entre si, pois cada um defende o interesse da sua área que, normalmente, são diferentes, resumindo muito trabalho para não sair do lugar ou avançar poucas ondas.

5°Risco do Gigante Concorrência: Quando a empresa faz uma boa gestão do seu conhecimento, ela mantém sua comunicação interna voltada para a Estratégia da Organização, o que a torna mais inovadora e competitiva, ou seja, sai na frente e esmaga seus concorrentes.

Agora, vamos voltar o nosso olhar para o profissional, isso mesmo, pois nem todo mundo está pronto para atuar em uma empresa que faz a Gestão do seu Conhecimento. Veja o que é importante e avalie se você está preparado:

Domínio Pessoal: Habilidade em identificar o que realmente é importante para você. Quem sabe o que deseja da sua própria carreira é mais engajado aos direcionamentos organizacionais.

Modelos mentais: Consiste em nossos crivos, na maneira como lidamos e interpretamos os estímulos do mundo, às vezes isso é imperceptível, está fora da nossa consciência. Pessoas negativas, excessivamente desconfiadas e resistentes à mudança, são difíceis de contribuir.

Visão Compartilhada: surge da visão pessoal que combinada com outras pessoas, resultando numa meta. Não pode ser imposta, precisa ser natural. Quem não troca o saber, faz desperdício de conhecimento ou perde a oportunidade de aumentá-lo.

Aprendizagem em equipe: Requer a capacidade de dialogar e saber abrir mão das ideias preconcebidas para construir algo maior em conjunto. Em resumo, deixar a teimosia e o ego de lado. Lembrar que “vender seu peixe”, não pode ser mais importante do “a empresa vender o dela”, portanto, tem hora que é melhor apresentar uma solução em conjunto ou apenas concordar com a solução alheia, do que bloquear o desenvolvimento organizacional com discussões infrutíferas.

Pensamento sistêmico: é a capacidade de perceber como as coisas se conectam, num mundo cheio de informações saber diferenciar quais serão úteis e contribuirão com o ciclo de desenvolvimento. O velho e bom FOCO no que é importante.

Sendo assim, defina seu caminho, considere os pontos fortes e fracos desta escolha e se prepare para lidar com eles; depois cuide dos pensamentos negativos usando a razão e a visão de especialistas no assunto para ganhar o autoconhecimento.

Não esqueça de entender como sua ideia se encaixa no olhar do outro, se, de fato, ela atende à essas necessidades, isso lhe trará inovação e competitividade. Nada disso acontecerá sem a aprendizagem, ela é o ponto chave do crescimento e para busca-la encontre pessoas que dominam o assunto, hoje existe muita alternativa boa e com valores acessíveis, até gratuitas.

Por fim, para não ficar com uma obesidade de informações em sua mente, saiba escolher aquelas que são importantes para você e seu plano de carreira. Isso é gestão do conhecimento!

Se quiser saber mais, o autor Peter Senge, explica muito bem este assunto. E, para aqueles que já são da área de desenvolvimento organizacional e querem uma nova capacitação, o SENAC oferece a Pós-Graduação em Gestão do Conhecimento, um excelente curso!

Espero que este texto tenha despertado em você a atenção para como tem cuidado dos seus saberes e a importância de trabalhar em uma empresa que estrutura seus processos de conhecimento.
Fique atento ao nosso site e redes sociais, fazemos questão de trazer boas e novas reflexões para você toda semana. 😉

Recommended Posts

Leave a Comment